Vegetarianismo e seus registros mais antigos

Comer carne é algo que começamos a fazer em algum momento de nossa evolução, mas não algo que sempre fizemos. Como nossos corpos não foram adaptados naturalmente para a caça, passamos a nos alimentar de outros animais ao começamos a criar ferramentas de pedra, madeira e aço. Mas para nós o que interessa não é quando o ser humano passou a comer animais, e sim quando decidiram não comê-los. Embora o termo vegetarianismo tenha surgido no séc. XIX, existem registros de dietas vegetais desde a antiguidade, vejamos alguns:

- Uma das evidências mais antigas de vegetarianismo remonta a 7.000 a.C. na cidade de Mehrgarh, região do vale do Rio Indo onde surgiu o Hinduísmo. Em muitos escritos Indus existem referências à prática da não violência a animais não humanos;

- Os hebreus acreditavam que o ser humano e os animais viviam pacificamente no Jardim do Éden no inicio de sua criação em Gênesis;

- No Egito antigo Akhenaton foi um faraó "herege" incentivando o vegetarianismo e proibindo sacrifícios de animais, contrariando as tradições egípcias;

- Jainistas também pregam o vegetarianismo, onde Yogashastra (escritura jain de 500 a.C.) afirma que a única religião que deva ser seguida é a de não ferir os seres vivos e que todas as coisas vivas amam sua própria vida, desejam prazer e não gostam de dores. (Isto soa familiar ao ativismo vegano?);

- Após o Budismo chegar ao Japão o imperador Tenmu passou a proibir matar animais e consumir carne, lei que durou 100 anos;

- Uma das fontes antigas mais comumente citadas da filosofia greco-romana pró-animal é Pitágoras. Ele ensinou que todos os animais tinham almas e pregava uma vida sem comê-los ou sacrificá-los. Além dele, outros filósofos incentivaram a dieta vegetariana como Platão, pregando o abate de animais como um obstáculo para a felicidade, e Teofrasto, afirmando que comer animais enfureciam os deuses.

Milhares de anos depois, hoje o vegetarianismo tem se propagado como uma transição para o veganismo na busca dos direitos animais.

Luiz Paulo Sacoman Almeida

Luiz Paulo Sacoman Almeida

Vegano desde 2009 e ativista desde 2012. Formado em Geografia pela UEM e atua como professor, porém já trabalhou vendendo marmitas veganas em Maringá.