A declaração da consciência animal

Em 2012 ocorreu um marco importante para a luta dos direitos animais. Se reuniram em Cambridge vários neurocientistas, neurofarmacologistas, neurofisiologistas, neuroanatomistas e neurocientistas computacionais cognitivos para uma conferência de importantes palestras sobre a consciência. Mas não apenas da consciência humana, como também a de várias outras espécies animais. Nomes como Philip Low e Stephen Hawking se destacaram no evento. Quase vinte estudos distintos foram apresentados e muitos deles se tratando de espécies específicas de animais. A conclusão de que chegaram é que a consciência animal não-humana não é mais só uma dúvida e sim uma certeza.

Embora nossa espécie costuma observar vários indícios de consciência no comportamento dos outros animais, costumamos ignorá-los para não mudarmos velhos hábitos passados de gerações em gerações. No máximo costumamos dar valor apenas aos animais mais próximos como gatos e cachorros, ou então animais de outras espécies que algumas pessoas criam pessoalmente (frangos, porcos etc) e mesmo assim ignora os outros indivíduos da mesma especie ao jantar.

Na Declaração de Cambridge foi concluído que boa parte das espécies possuem consciência, incluindo mamíferos, aves e até mesmo animais marinhos como polvo.

"Não é mais possível dizer que não sabíamos" disse Philip Low, neurocientista de Stephen Hawking com quem dividiu a palavra na palestra. Desde então Philip Low se tornou vegano e vem dado palestras no mundo inteiro sobre a consciência animal.

Luiz Paulo Sacoman Almeida

Vegano desde 2009 e ativista desde 2012. Formado em Geografia pela UEM e atua como professor, porém já trabalhou vendendo marmitas veganas em Maringá.

2020 - ONG Maringá Vegano 

CNPJ 27.018.695/0001-95

  • instagram
  • facebook
  • twitter
  • whatsapp